Covid 19 - Uma Abordagem Diferente [o que nunca te contaram]
Covid 19 - Uma Abordagem Diferente [o que nunca te contaram]

O SARS-CoV-2 (sobre), conhecido como o novo coronavírus apareceu em novembro de 2019 em Wuhan, uma província chinesa.

Em janeiro de 2020 foi publicada a primeira sequência genética do genoma do SARS-CoV-2 e neste mesmo mês, a China confirmou a transmissão do vírus entre humanos.

No mesmo dia alguns pesquisadores enviaram um artigo à revista Nature detalhando o genoma do SARS-CoV-2 e o de um vírus de morcego, chamado RaTG13, que é em 96%, semelhante ao do novo coronavírus.

O RaTG13 já tinha sido descoberto em 2013, quando seis mineiros contraíram uma infeção viral que resultou numa pneumonia grave.

No dia 31 de janeiro de 2020, a China admitiu que nenhum dos animais do mercado tinham testado positivo para o SARS-CoV-2.

Mais tarde, especulou-se que os pangolins foram os hospedeiros intermediários que transmitiram a doença aos humanos e desde aí, esta espalhou-se pelo mundo inteiro, sendo que, em março de 2020 a OMS decretou o estado de pandemia.

COVID-19… GRIPE OU RESFRIADO?

As gripes são causados por vírus influenza (uma das piores foi a gripe espanhola que afetou 500000000 de pessoas e que durou de janeiro de 1918 a dezembro de 1920)

Os resfriados são provocados por rinovírus, adenovírus, retrovírus, …

O novo coronavírus é um retrovírus, por isso, tecnicamente falando, a COVID-19 não é uma gripe, mas sim um resfriado!

O que distingue gripe de resfriado não é a gravidade dos sintomas, como a maioria pensa, mas a taxonomia do vírus que lhe está associada!

As infeções por coronavírus já acontecem há algum tempo e caraterizam-se por infeções respiratórias mais ou menos graves.

Normalmente a maioria apresenta a doença na sua forma benigna, com sintomas típicos de um estado gripal e recupera-se na 1ª semana, mas quando a doença evolui, a situação agrava-se bem mais!

O grupo de risco é apontado a pessoas com mais de 60 anos, mas isso, tem a ver com o facto desta faixa etária, ter mais doenças associadas, como obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares, …

No caso de doença severa em que seja necessário internamento em cuidados intensivos com ventilação artificial, existem biomarcadores que podem ajudar a monitorizar estado clínico dos pacientes internados:

  • D-dímeros – trata-se de um fragmento da degradação da fibrina e mostra se existem alterações na coagulação;
  • NADH – Nicotinamida Adenina Dinucleotídeo é uma coenzima que se encontra em todas as células. A sua principal função produzir energia celular, por isso quanto mais NADH uma célula possui, mais energia ela irá produzir.
  • LDH – Lactato Desidrogenase é uma enzima encontrada em grande parte dos tecidos, que desempenha um papel importante no metabolismo da glicose. O aumento do LDH pode ser um sinal de lesões em órgãos ou tecidos, uma vez que essas lesões libertam o LDH para a corrente sanguínea.
  • Interleucina 6 – atua como uma citocina pró-inflamatória. Vários dados sugerem que a via da Interleucina-6 desempenha um papel importante na resposta inflamatória exacerbada em pacientes com COVID-19. 
  • PCR doseada – Proteína C Reativa é produzida no fígado e é o principal marcador da fase aguda de processos inflamatórios e necróticos.
  • Procalcitonina (PCT) – é uma pró-hormona polipeptídica da calcitonina e tornou-se um biomarcador para auxílio no diagnóstico da sépsis. Ela é sintetizada principalmente pelas células C da tiroide, e, em menor quantidade, no tecido neuroendócrino dos pulmões e intestinos. A sua elevação pode ocorrer por citocinas inflamatórias e, especialmente, pela presença de endotoxinas bacterianas. Isto permite avaliar que, quanto mais alto forem os níveis de PCT, maior a probabilidade de infeção sistémica e sépsis.
  • Ferritina – é uma proteína produzida pelo fígado, responsável pelo armazenamento de ferro no organismo e que pode estar aumentada em doenças infecciosas e inflamatórias.
  • Troponina cardíaca- serve para avaliar a quantidade destas proteínas no sangue, que aumentam a sua concentração quando existe lesão no músculo cardíaco. Assim, quanto maior for a lesão no coração, maior é a quantidade destas proteínas no sangue.
  • Peptídeo natriuretico – a sua principal função é participar na homeostase cardiovascular e modular o crescimento celular.

Um esclarecimento importante…

SARS-CoV-2 é o nome do vírus…

COVID-19 é o nome da doença, designada pela OMS.

Um esclarecimento que quero deixar é que, SARS-COV-2 é o nome do vírus e COVID-19 é o nome da doença, designada pela OMS
Um esclarecimento que quero deixar é que, SARS-COV-2 é o nome do vírus e COVID-19 é o nome da doença, designada pela OMS

Constituição do SARS-CoV-2

O SARS-COV-2 é um vírus que possui um capsídeo, a proteger o seu material genético e um invólucro com várias proteínas na sua superfície, entre elas a Proteína spike…

…ou Proteína S, uma glicoproteína com espículas que penetra nas células do hospedeiro e tem afinidade para a enzima conversora da angiotensina 2 (ECA2).

Ela está presente nas nossas células, a nível pulmonar, renal, sistema digestivo e sistema cardiovascular o que facilita a infeção!

O material genético deste vírus é constituído por uma fita de RNA simples, sentido positivo, ou seja, serve para sintetizar proteínas diretamente, o que resulta numa velocidade maior na geração de novas réplicas de vírus nas células infetadas.

Este tipo de genoma não possui um sistema de reparação de erros. Assim, quando o vírus efetua os processos de replicação, transcrição e tradução, e sempre que ocorram erros, isso irá traduzir-se na existência de mutações, já que não existe um sistema de reparação.

É por esse motivo que todos os anos são feitas novas vacinas para a gripe!

Quanto à origem do vírus

Muitos mistérios continuam por desvendar…

– Sabemos que não teve origem num morcego no mercado de Wuhan…

– Sabemos que o SARS-CoV-2 não evoluiu como era de esperar, se tivesse sido transmitido de um animal para um humano…

– Sabemos que o SARS-CoV-2 entrou em ação totalmente evoluído e adaptado para a transmissão entre humanos. Isso levou uma bióloga a concluir que, a fase intermediária da evolução da sua transmissão de animais para humanos possa ter ocorrido em laboratório…

Esta bióloga estudou detalhadamente a sequência científica de eventos e verificou a existência de vários pontos intrigantes relacionadas com o SARS-CoV-2, mas isso ficará para depois…

Independentemente da origem deste vírus uma coisa é certa…

Ele está entre nós e muitas pessoas já morreram e irão morrer…

Transmissibilidade do SARS-COV-2

Transmissibilidade do SARS-COV-2
Transmissibilidade do SARS-COV-2

A prematuridade com que se pode transmitir é preocupante, pois a sua transmissão ocorre a partir do 1º dia, mesmo que a pessoa infetada seja assintomática.

Cada pessoa infetada pode contagiar 2 a 3 pessoas, o que significa que se transmite de forma exponencial (2,4,16,32, 64,128,256,512,1024,…)

O vírus pode sobreviver fora do organismo humano mais tempo que o vírus HIV, podendo ficar vivo mais de 72 horas, dependendo da superfície onde se encontra.

A escuridão, a humidade e temperaturas abaixo dos 8,7ºC são condições propícias à sua sobrevivência.

O SARS-COV-2 transmite-se por gotículas, aerossóis e por via orofecal.

Qual é o tratamento específico para a COVID-19?

Não existe nenhum tratamento específico para esta doença, por isso temos preparar o nosso sistema imunitário para a receber…

O que podemos fazer é tentar ser o mais saudáveis possível, para dificultar a vida a este vírus que, de várias maneiras, atormenta a vida de todos nós, quer seja fisicamente, psicologicamente, socialmente, economicamente, …

#1 – Jejum intermitente e Dieta Cetogénica

Jejum intermitente e Dieta Cetogénica
Jejum intermitente e Dieta Cetogénica

– As cetonas são moléculas de gordura com benefícios metabólicos importantes;

– As cetonas fornecem energia de forma rápida, controlam a oxidação dentro das células, tentam restabelecer a homeostase celular, sendo por isso extremamente úteis quando ocorrem infeções virais;

– As cetonas ajudam a aumentar o NADPH, uma das biomoléculas mais importantes, que ajuda o nosso corpo a reciclar antioxidantes.

Esta preciosa molécula mantem os radicais livres benéficos, como o óxido nítrico e elimina os que são indesejáveis, reduzindo assim o estresse oxidativo;

– As cetonas ajudam a suprimir as vias pró-inflamatórias, ajudando a controlar a inflamação;

– Em caso de COVID-19, as cetonas ajudam na dilatação brônquica.

Como podemos aumentar os nossos níveis de cetonas para usufruirmos de todos estes benefícios?

Para aumentar os níveis endógenos de cetonas pode seguir-se uma dieta cetogénica, fazer jejum intermitente ou tomar óleo MCT.

#2 – NAC (N-acetilcisteína)

– O NAC, além de ter a capacidade de neutralizar efeitos tóxicos de medicamentos e drogas, também consegue reduzir a replicação viral de alguns vírus.

– Em casos graves de COVID-19 as citocinas pró inflamatórias encontram-se todas elevadas, causando graves danos nos tecidos. O NAC inibe a expressão dessas citocinas, atenuando o processo inflamatório originado.

Subscreve-te na lista VIP do Blog Poder&Disciplina

Este Blog é somente para quem quer alcançar um espirito de vencedor(a) e guerreiro(a). É interdita a subscrição a quem se resigna à derrota! Junta-te a esta legião e obterás o sucesso!

Subscrever*100% Livre de Spam

#3 – Vitamina D

– Manter níveis elevados desta “vitamina”, reduz a probabilidade de contrair a doença, já que ela contribui para fortalecer o sistema imunitário, além de muitos outros benefícios para a saúde, em geral;

– Divulgar o uso deste suplemento e suplementar idosos com vitamina D pode ter um impacto muito positivo, evitando possíveis hospitalizações e reduzindo as taxas de mortalidade causadas por este vírus;

A vitamina D pode reduzir o risco de COVID-19, bem como de outras infeções respiratórias de diferentes formas:

*Diminuindo a produção de citocinas pró-inflamatórias – Uma das caraterísticas graves da COVID-19 é a avalanche de citocinas formadas, o que se traduz numa híper inflamação e danos teciduais.

*Mantendo a integridade endotelial – A disfunção endotelial contribui para a inflamação vascular e causa problemas na coagulação, o que apresenta correlação com casos de COVID-19 graves.

*Diminuindo a sobrevivência e a capacidade de replicação do vírus.

*Aumentando a enzima conversora da angiotensina II (ECA2) – A COVID-19 diminui a regulação da ECA2, levando à acumulação de angiotensina II, uma hormona peptídica que aumenta a tensão arterial.

A vitamina D consegue aumentar as concentrações de ECA2, o que impede o vírus de entrar nas células e se replicar.

Assim existe uma forte relação inversa entre as taxas de infeção por SARS-CoV-2 e os níveis séricos de vitamina D.

Vários estudos demonstraram:

– Indivíduos com pelo menos 55 ng/mL de vitamina D apresentavam uma taxa de positividade inferior para SARS-CoV-2, em comparação com aqueles que apresentavam um nível abaixo de 20 ng/mL;

– Houve redução nas taxas de hospitalização, que quase duplicaram em pacientes que apresentavam níveis de vitamina D abaixo de 30 ng/mL;

– Houve uma redução da necessidade de internamento em cuidados intensivos, quando se administrou vitamina D a doentes hospitalizados;

– A gravidade da COVID-19 aumentou, já que pacientes com níveis séricos abaixo de 12 ng/mL, apresentam um risco cerca de 6 vezes superior de exibirem doença grave, com necessidade de ventilação artificial.

– A taxa de mortalidade aumentou, pois pacientes com níveis séricos abaixo de 12 ng/mL apresentavam um risco cerca de 14 vezes superior de risco de morte, por COVID-19.

#4 – Magnésio e vitamina K2

Além da suplementação com vitamina D é importante suplementar com magnésio, já que ele é necessário para converter a vitamina D na sua forma ativa.

A vitamina K2 previne a calcificação das artérias.

Tomar magnésio e vitamina K2 ajudará a otimizar os níveis de vitamina D, logo contribuirá para a prevenção da doença!

#5 – Vitaminas do complexo B

Apesar de não existirem estudos que avaliem a eficácia das vitaminas do complexo B em doentes com COVID-19, sabe-se que a niacina e a nicotinamida são importantes para o nosso sistema imunitário, já que são precursores do NAD+, que é crucial no combate à inflamação, pois diminui as citocinas pró-inflamatórias.

A nicotinamida reduz a replicação de alguns vírus, fortalece os mecanismos de defesa do organismo e oferece proteção pulmonar, o que pode auxiliar no tratamento de pacientes com COVID-19.

#6 – Aumentar o teu sistema imunitário

#7 – O vírus tem dificuldade em sobreviver sob determinadas condições:

– Luz u.v – tenta apanhar sol diretamente na pele cerca de 10 a 15 minutos todos os dias

– Calor – se puderes faz sauna seca, não húmida.

– Aridez

O uso de máscara na Covid 19

São muitos os que pensam que a ciência é exata e inequívoca e que não pode ser contestada…

Mas, a verdade é que as coisas não são sempre lineares e nem sempre funcionam assim…

A ciência nunca está estabelecida e é muito raro chegar-se a um consenso científico!

Em relação ao uso de máscaras, como forma de evitar a transmissão do vírus, a ciência não apoia essas recomendações…

As máscaras cirúrgicas descartáveis foram feitas para serem usadas por equipas médicas para se protegerem de possíveis contaminações acidentais, de respingos e fluidos corporais dos pacientes.

Quanto às mascaras de tecido, também não existem padrões de qualidade para este tipo de máscaras, sendo estas recomendadas para pessoas com menos de 60 anos, que não tenham cormobilidades, que não se sintam doentes ou que não estejam a tratar de pessoas doentes.

Assim, as evidências do uso de máscara na prevenção do vírus é muito limitada!

Basta olharmos para os números e facilmente constatamos que desde a obrigatoriedade do uso de máscara não houve qualquer retrocesso na transmissão do vírus, pelo contrário, os casos continuaram a aumentar!

Então onde está a eficácia das máscaras na Covid 19?

As pessoas deixam-se facilmente enganar pelos mídea e por toda a publicidade que esta pandemia arrastou consigo… Os governos foram obrigados a aplicar medidas, para travar a propagação do vírus…

O uso de máscara parecia uma medida fácil de aplicar, segura e eficaz…

O que aconteceu, foi que as pessoas acabaram por se sentir mais seguras com o uso da máscara facial, no entanto muitas usam-na de forma incorreta, tocam várias vezes no rosto e esquecem-se de lavar as mãos, só porque tem máscara!

Por esse motivo o uso obrigatório de máscara pode ter mais efeitos negativos que positivos! Vejamos alguns deles:

– Asma – as máscaras cirúrgicas são prejudiciais à nossa saúde, já que são feitas à base de polipropileno, um composto que desencadeia e piora crises de asma;

– Cáries dentárias – vários dentistas tem relatado a existência de um maior número de cáries dentárias, problemas nas gengivas e mau hálito;

– Lesões pulmonares – as fibras presentes nas máscaras acabam por ser inaladas, provocando a entrada de materiais estranhos, tanto a nível das vias aéreas, como a nível pulmonar, o que representa um grave perigo para a saúde!

– Infeções – existe um risco aumentado de contrair infeções, pois os vírus podem acumular-se nas vias aéreas, entrar nos nervos olfativos e viajar até ao cérebro!

– Problemas relacionados com a falta oxigenação, como falta de ar, fadiga, dores de cabeça e ansiedade.

Vacina Covid-19

Será que as vacinas desenvolvidas são seguras?

Os voluntários que participaram do ensaio não foram informados de que a vacina os pode tornar suscetíveis a doenças mais graves, comparativamente se não fossem vacinados!

As vacinas para SARS (Síndrome respiratória grave), MERS (Síndrome respiratória do Médio Oriente) e RSV (vírus sinsicial respiratório) apresentam algumas preocupações no seu desenvolvimento.

Nelas são usados compostos de proteína, vetores virais, DNA ou RNA, que podem piorar a doença, devido a uma tendência para desencadear o aumento de anticorpos ADE.

Neste fenómeno, os anticorpos específicos ao vírus aumentam a sua capacidade de entrar no organismo e, em alguns casos, aumentam mesmo a sua capacidade de replicação.

Isto significa que em vez de aumentar a tua imunidade, a vacina aumenta a capacidade do vírus entrar e se multiplicar nas células hospedeiras, originando doenças graves.

Mas, sobre a vacina falarei em pormenor noutro artigo…

Vê o resumo deste artigo no nosso canal do youtube…

P.S Não te esqueças de te subscreveres no nosso Canal do Youtube Poder&Disciplina

Subscreve-te na lista VIP do Blog Poder&Disciplina

Este Blog é somente para quem quer alcançar um espirito de vencedor(a) e guerreiro(a). É interdita a subscrição a quem se resigna à derrota! Junta-te a esta legião e obterás o sucesso!

Subscrever*100% Livre de Spam

Sobre o Autor

Carla Coelho
Carla Coelho

Olá o meu nome é Carla Coelho e este é o Blog Poder e Disciplina. Aqui, eu e o meu marido, compartilhamos conteúdos de alto valor sobre treino, dieta, saúde e sucesso. Sou Licenciada em Biologia, no ramo científico pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e sempre trabalhei como Técnica Superior de Laboratório na área de Análises Clínicas. Ao longo da minha vida sempre fui treinando e sempre me interessei muito por treinos, dieta, saúde e sucesso! Hoje o meu principal foco é tentar passar todo o meu conhecimento nestas áreas e ajudar qualquer um a melhorar a saúde de forma natural, fazendo dos alimentos os seus medicamentos!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solicitar exportação de dados

Utilize este formulário para solicitar uma cópia dos seus dados neste site.

Solicitar remoção de dados

Utilize este formulário para solicitar a remoção dos seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Utilize este formulário para solicitar a retificação dos seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Utilize este formulário para solicitar o cancelamento de inscrição do seu e-mail em nossas Listas de E-mail.