Candidíase Vaginal
Candidíase Vaginal - O meu Tratamento Natural

Três em cada quatro mulheres já tiveram algum episódio de Candidíase Vaginal

Esta é uma infeção comum nas mulheres, devido à proliferação do fungo Cândida albicans.

Neste artigo vou contar-te a minha experiência e como curei, de forma completamente natural, esta infeção, tão incómoda, principalmente nas mulheres!

O que é a candidíase vaginal?

A candidíase vaginal é uma infeção ginecológica, causada por fungos, do género Cândida, um grupo de leveduras com cerca de 150 a 200 espécies oportunistas.

A espécie mais comum, causadora deste tipo de infeção é a estirpe de Cândida albicans, responsável por cerca de 90% dos casos diagnosticados.

No entanto, embora menos vulgares, mas importantes do ponto de vista clínico e epidemiológico estão outras estirpes, como Cândida glabrata, Cândida parapsilopsis, Cândida tropicalis e Cândida krusei.

Estes fungos podem provocar infeções em praticamente todos os órgãos e tecidos e, tanto podem ser superficiais, afetando a pele e as mucosas, como se pode tornar invasivas ou sistémicas.

Na mulher é comum o aparecimento de candidíase vaginal, que desencadeia um quadro de inflamação tanto no interior da vagina como no exterior, ou seja na vulva.

Sinais e Sintomas…

  • Um dos primeiros sinais de candidíase vaginal é o aparecimento de um prurido intenso na vagina, tanto interior como exteriormente;
  • Aparecimento de vermelhidão local e inchaço;
  • Sensação de ardor e até dor durante as relações sexuais;
  • Probabilidade de aparecimento de corrimento vaginal.

Quais as razões para o aparecimento desta infeção?

A Cândida é um fungo que está, naturalmente, presente na nossa flora saprófita, ou seja vive no nosso organismo de forma inofensiva!

Pode encontrar-se no trato gastrointestinal, em algumas mucosas e no sistema urogenital, sem causar nenhuma patologia.

No fundo, é apenas mais um microrganismo que faz parte dos milhões que colonizam o nosso corpo e que fazem parte da nossa flora natural.

Em condições normais, a presença de outros microrganismos, a existência de um pH ácido na vagina, bem como o nosso próprio sistema imunitário, impedem que este fungo se multiplique, mantendo a sua população controlada.

No entanto, este fungo é considerado oportunista, ou seja, ele espera a altura certa para se multiplicar e provocar estragos!

  • Uma das causas para o aparecimento de candidíase é quando o nosso sistema imunitário se encontra comprometido.

Quando isto acontece, os fungos aproveitam a ocasião para se multiplicarem, descontroladamente e, como resultado desta explosão populacional, aparecem os sintomas!

Tais alterações, desencadeiam um distúrbio na nossa flora natural de microrganismos, oferecendo a este fungo a oportunidade esperada, para se multiplicar e provocar infeções!

Aliás, este é um dos motivos pelo qual as grávidas apresentam mais predisposição para ter candidíase.

  • O uso excessivo de antibióticos ou de corticoides, também constituem uma das causas para o seu aparecimento.
  • A existência de diabetes constitui outra causa, já que o açúcar e os hidratos de carbono, em geral, são a principal fonte de alimento deste fungo.
  • Uma limpeza inadequada da região perianal, pode constituir outra das causas.

A Cândida albicans que coloniza a vagina, da maioria das mulheres, tem origem na região perianal (região situada entre o ânus e a vagina).

Este microrganismo está, naturalmente, presente no trato gastrointestinal, colonizando a região perianal, mas pode migrar até à vagina.

Portanto, umas das formas disso acontecer é através da limpeza inadequada do ânus após uma evacuação, ou quando a mulher se limpa de trás para a frente, arrastando esses microrganismos para a região vaginal.

A Candidíase é transmissível?

Como já referi, normalmente, a candidíase aparece como resultado de alterações do sistema imunitário, distúrbios da nossa flora natural, ou até como consequência de uma limpeza inadequada.

Portanto, na maioria dos casos a cândida que vive, inocentemente, no nosso organismo, conseguiu ultrapassar as nossas barreiras de defesa, multiplicou-se de forma descontrolada e tornou-se patogénica.

Isto quer dizer que mesmo as mulheres que não tem relações sexuais podem desenvolver candidíase.

Depois de saber que está com candidíase, obviamente que pode transmiti-la ao seu parceiro sexual.

Então, apesar de poder ser transmitida sexualmente, a candidíase vaginal não é considerada uma doença sexualmente transmissível, já que o facto de ter Cândida não significa necessariamente, ter candidíase.

Afinal, tudo depende se este microrganismo consegue ou não ultrapassar as nossas barreiras de defesa.

Outros fatores que contribuem para o aparecimento de candidíase

  • Sistema imunológico deprimido e presença de doenças que deprimem o sistema imunitário, como a SIDA.
  • Uso frequente de antibióticos, de contracetivos orais, corticoides ou de outros medicamentos que podem alterar o pH vaginal (tornando-o mais básico) e criam condições para a multiplicação do fungo.

No caso especifico dos antibióticos de largo espectro, estes acabam por destruir as bactérias naturais da flora vaginal, o que acaba por aumentar o risco de aparecimento de candidíase.

  • Alterações da flora vaginal.
  • Alterações hormonais – níveis muito baixos ou muito elevados de estrogénios interferem no pH vaginal, o que pode aumentar o risco de candidíase.

Esta é uma das razões pela qual, o seu aparecimento é mais comum em mulheres grávidas, menstruadas, que fazem reposição hormonal, que usam contracetivos orais ou que se encontram na menopausa.

  • Pacientes internados, transplantados, no pós-operatório, que usam cateteres ou que fazem nutrição parenteral, apresentam o seu sistema imunitário mais enfraquecido e são mais suscetíveis à infeção.
  • Diabetes – as mulheres diabéticas, com níveis de glicose descontrolados, apresentam maior risco de candidíase, já que a glicose é um dos principais alimentos das leveduras.
  • O uso de roupa apertada ou de biquínis molhados também podem criar condições propícias para a multiplicação dos fungos.
  • Os duches vaginais frequentes, devem ser evitados, porque podem destruir a flora natural da vagina.
  • Higiene efetuada de forma inadequada – bactérias e fungos colonizam a região perianal e podem migrar para a vagina, multiplicar-se e provocar candidíase.

Cuidados a ter para evitar o seu aparecimento:

  • Lavar e secar bem a zona genital e do ânus, evitando o uso de soluções íntimas agressivas.
  • Fazer a higiene intima utilizando produtos que respeitem o pH vaginal (entre 3,8 e 4,5) ou recorrendo ao uso de água com vinagre (cerca de 3 colheres de sopa em meio litro de água);
  • Utilizar roupa pouco apertada e de preferência de algodão, principalmente na hora de dormir;
  • Fazer uma alimentação saudável, evitando todos os alimentos que contenham muitos hidratos de carbono, pois estes são o principal alimento das leveduras;

Diagnóstico da Candidíase

O diagnóstico de candidíase vaginal é relativamente fácil de realizar.

Na presença de alguns sintomas, o médico, normalmente, prescreve um exsudado vaginal, que a mulher pode realizar no seu laboratório de confiança.

No laboratório, com a ajuda de uma zaragatoa, é recolhida uma amostra de corrimento vaginal que é analisado para averiguar a presença e identificação do microrganismo causador da candidíase.

Subscreve-te na lista VIP do Blog Poder&Disciplina

Este Blog é somente para quem quer alcançar um espirito de vencedor(a) e guerreiro(a). É interdita a subscrição a quem se resigna à derrota! Junta-te a esta legião e obterás o sucesso!

Subscrever*100% Livre de Spam

Tratamento Tradicional versus Tratamento Natural

O tratamento tradicional passa pela aplicação de cremes vaginais à base de antifúngicos, como o clotrimazol, nistatina ou miconazol.

Outra alternativa é a aplicação de comprimidos vaginais, como o fluconazol ou ainda a utilização de tratamentos via oral, que normalmente são mais confortáveis para o paciente.

O tratamento natural de que vou falar resultou comigo e foi por isso que decidi escrever este artigo.

Isto não significa, que não existam outros métodos naturais que consigam resolver a candidíase, no entanto neste artigo apenas irei relatar a minha experiência e o método natural que usei para curar a candidíase!

Tudo começou com um incómodo na região vaginal, acompanhado de um ligeiro prurido…

Mas, à medida que o tempo passava, os sintomas iam-se agravando, de tal forma que apenas conseguia aliviar a sensação de prurido, no banho!

Rapidamente me apercebi que estava com candidíase e que precisava, urgentemente, iniciar o tratamento…

Nessa altura, o meu marido aconselhou-me a experimentar algo natural, mas eu não fiquei convencida em relação a isso e disse-lhe que não iria valer a pena, pois tratando-se de uma candidíase, teria de comprar Gino-Canesten (clotrimazol) e fazer as aplicações do creme vaginal, como já tinha acontecido!

Eu já tinha passado por isto, pelo menos uma vez, e sabia que só assim conseguiria resolver o problema.

No entanto, ele insistiu e convenceu-me a experimentar um tratamento natural, que vou descrever:

  • Coloquei um pedaço de óleo de coco num recipiente e, como foi no inverno, levei-o a derreter em banho-maria (no verão não será necessário pois o óleo de coco encontra-se em estado liquido);
  • Peguei num tampão e coloquei-o dentro do óleo de coco, de forma a que toda a parte do absorvente fique bem impregnada com o óleo;
  • Em seguida introduzi o tampão, seguindo as instruções habituais;
  • Coloquei também um pouco de óleo de coco na parte exterior da vagina (vulva), pois ajudou-me a aliviar o prurido que sentia;
  • Passadas 2 a 3 horas retirei o tampão.

Eu fiz este procedimento, durante cerca de 6 dias e repeti-o 3 a 4 vezes por dia, até notar algum alívio dos sintomas.

Nessa altura diminuí o número de vezes que coloquei o tampão, mas mesmo que sintas algum alívio ao fim de alguns dias, não desistas de continuar este tratamento, fá-lo até ao fim!

Conclusão

A candidíase vaginal é uma infeção fúngica frequente em mulheres e a estirpe de Cândida albicans é a responsável por cerca de 90% dos casos diagnosticados.

Este fungo faz parte da nossa flora saprófita, mas é considerado oportunista e, portanto, ele espera a altura certa para se multiplicar e provocar estragos!

Existem vários fatores que contribuem para o seu aparecimento, entre eles estão as alterações hormonais, diabetes, sistema imunitário comprometido, uso excessivo de antibióticos, limpeza inadequada, uso de roupa apertada, …

Eu consegui curar a minha candidíase, de forma completamente natural, usando óleo de coco e sem recorrer aos tratamentos convencionais, que acabam sempre por ter os seus efeitos secundários.

Podes pensar que o tratamento natural é mais demorado e que pelo método tradicional resolverias o problema em apenas três dias…

Mas, lembra-te que mais importante que o tempo que demora, é a tua saúde e o teu bem-estar!

Sempre que possas, evita o uso de medicamentos!

Não te esqueças que o medicamento pode resolver uma situação, mas acaba por ser prejudicial em muitas outras, especialmente no que respeita às resistências que os microrganismos vão adquirindo!

Um facto importante neste episódio é o facto de eu me considerar uma pessoa saudável, já que pratico desporto com regularidade, não tenho problemas de saúde e faço uma alimentação saudável.

Este conjunto de fatores foram essenciais na resolução deste problema, sem recorrer aos tratamentos convencionais!

Este blog existe para te ajudar a manteres-te forte e saudável, de forma natural, evitando químicos e medicamentos, que apenas servem para remediar situações.

Acreditem neste tipo de tratamentos e antes de recorrerem à medicina convencional experimentem métodos naturais!

Depois do que leram e do meu testemunho, acredito que façam a escolha acertada…

“Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente.“ (Jiddu Krishnamurti)

Subscreve-te na lista VIP do Blog Poder&Disciplina

Este Blog é somente para quem quer alcançar um espirito de vencedor(a) e guerreiro(a). É interdita a subscrição a quem se resigna à derrota! Junta-te a esta legião e obterás o sucesso!

Subscrever*100% Livre de Spam

Sobre o Autor

Carla Coelho
Carla Coelho

Olá o meu nome é Carla Coelho e este é o Blog Poder e Disciplina. Aqui, eu e o meu marido, compartilhamos conteúdos de alto valor sobre treino, dieta, saúde e sucesso. Sou Licenciada em Biologia, no ramo científico pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e sempre trabalhei como Técnica Superior de Laboratório na área de Análises Clínicas. Ao longo da minha vida sempre fui treinando e sempre me interessei muito por treinos, dieta, saúde e sucesso! Hoje o meu principal foco é tentar passar todo o meu conhecimento nestas áreas e ajudar qualquer um a melhorar a saúde de forma natural, fazendo dos alimentos os seus medicamentos!

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solicitar exportação de dados

Utilize este formulário para solicitar uma cópia dos seus dados neste site.

Solicitar remoção de dados

Utilize este formulário para solicitar a remoção dos seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Utilize este formulário para solicitar a retificação dos seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Utilize este formulário para solicitar o cancelamento de inscrição do seu e-mail em nossas Listas de E-mail.